POR QUE MANTEMOS UMA ESPERANÇA À CATEGORIA!?


Você está em - Home - Artigos - POR QUE MANTEMOS UMA ESPERANÇA À CATEGORIA!?
Queremos fazer com a causa de lutar o mesmo que fazemos lutando.

Muito embora tenha virado moda grevar, as representações classistas dos Delegados de Polícia Judiciária já manifestam pelo aprendizado, apoio ao diálogo democrático até ultima gota de proteção de nossos direitos, antes de qualquer possibilidade de greve da categoria, que poderá sim ocorrer se o governo não cumprir com o acordo de reajuste dentro dos patamares das carreiras jurídicas.

Nossos desafios você, colega, já deve conhecer por notícias do site, sobre o salário da categoria que vive na mente de todos nós, e que as representações classistas toda semana explicam por notícias oficiais, do processo que o envolve.

Como categoria estamos vivenciando cenário bem desafiador mesmo, com acentuada mídia marrom, que nós mesmos alimentamos com os erros e com os acertos da árdua atividade que exercemos, especialmente, o suposto erro, que é explorado covardemente antes mesmo da verdade real. E ainda temos dado chance para o azar ao deixarmos de usar paletó e gravata para as entrevistas e ao abusarmos da utilização de frases improvisadas sem sentido ao tema e quase sempre com referência ao MP, como se seu superior fosse.

Todos nós temos que proteger nossas prerrogativas e uma dessas formas de proteção é o saber usar o traje forense como destaque de importância da profissão e o vernáculo bem utilizado. Jaqueta é para ser usada no seu contexto operacional se necessário seu uso por parte do Delegado, que deve usá-la por cima do paletó. Seu uso indevido somente complica ainda mais o quadro atual de que todos são iguais na polícia salarialmente.

Para novamente fazer frente ao problema venho agora como sindicalista fazer um apelo aos colegas, que insistem em dar entrevista de mangas de camisa e com linguajar inapropriado para um membro das carreiras jurídicas, para que procurem proteger a categoria, buscando informações nas entidades de classes ou na assessoria de imprensa da PC de como agir para aquela entrevista. Com isso, felizmente, não mais precisarei escrever tamanho apelo para ajustar nossa categoria à nova realidade social entre suas excelências os Delegados de Polícia Judiciária.

A categoria que você representa é um todo e não um individual, ainda, que cada Delegado (a) seja por força de lei uma Polícia Civil no todo de sua competência e independência e é, por força dessa fortaleza, que temos e necessitamos proteger ao máximo o outro colega da profissão e que nada tem haver com suas decisões, que possam nos atingir como um todo.

Foi uma decisão muito difícil para quem foi escolhido para representar a categoria no universo político, voltar a tocar no assunto, mas necessário, para me manter o Moraes que sempre fui e para preservar nossas prerrogativas e, as centenas de entrevistas, que você proporcionará.

Desejo garantir que as representações classistas estão comprometidas com o reajuste salarial ideal para cada um de nós, e até agora, nosso fortalecimento é você, e todos por você, e você por nós todos. Por isso mesmo, apelamos para gerar mais confiança em cada cidadão que assiste televisão que você querido colega, não se esqueça do seu paletó, da boa dicção e do bom português.

Se tivermos que grevar não será por culpa da categoria e sim do governo.

Venha se associar e participar de uma escalada de força para nossas propostas.

Venha para o Sindelp, Adepol e Adappa construir um novo futuro de sua categoria com força e vigor.

Eu coloco o coração em tudo, e você colega é parte do meu ser, pois não estou em voo livre.

O delegado precisa de paletó na medida certa.

Estamos trabalhando para oferecer a você e a todos os colegas uma representação cada vez melhor.